Vendas de automóveis elétricos na UE: Em 2035 serão 90% do mercado

2 min de leituraMercado
O futuro da mobilidade vai passar invariavelmente pelos veículos elétricos. Um estudo recente, do Boston Consulting Group, junta-se a tantos outros que confirmam esta tendência. Para quem ainda tenha dúvidas, vale a pena olhar estes números.
Partilhar esta mensagem

É incontornável. Os veículos elétricos (VE) vieram para ficar e já não restam dúvidas de que vão marcar o nosso futuro. Tanto a médio como a longo prazo. Todas as projeções apontam nesse sentido e uma das mais recentes é do Boston Consulting Group (BCG), que garante: “Os automóveis 100% elétricos serão responsáveis por mais de metade do mercado global de venda de carros novos até 2035 e, neste mesmo ano, representarão 9 em cada 10 das vendas de automóveis realizadas na Europa”.

Médio e longo prazo

Segundo o mesmo estudo, “Os veículos 100% elétricos representarão 20% do mercado global dos veículos ligeiros novos já em 2025 e, em 2028, ultrapassarão os veículos de combustão e híbridos. Em 2035, serão 59% das novas matrículas em todo o mundo. A consultora prevê ainda que, em 2035, os veículos 100% elétricos deverão representar 93% do mercado no UE, 68% nos Estados Unidos (EUA) e 66% na China. Como está previsto, a UE proibirá a comercialização de novos automóveis a combustão a partir de 2035.

Fora da Europa

Os dados referentes a países fora do espaço europeu também são muito curiosos. “Até 2027, países como a Índia, o Brasil e a Rússia deverão concentrar mais de 50% das vendas globais de motores estritamente a gasolina ou diesel, com os veículos 100% elétricos a representar apenas 35% das vendas, em 2035″. De acordo com as perspetivas de mercado para vendas globais de veículos elétricos alimentados a bateria e híbridos recarregáveis plug-in, os atores da cadeia de fornecimento vão precisar de acelerar os esforços nessas áreas para acompanhar a procura futura, acrescentou a BCG nas notas de suporte ao estudo divulgado. “A pressão sobre os países e sobre a indústria automóvel no âmbito da descarbonização dos transportes e mobilidade nos próximos anos obrigará a uma aceleração da adoção de veículos elétricos, primeiramente a nível privado e, posteriormente, a nível comercial”, referiu Carlos Elavai, representante desta consultora no nosso país. “Para uma transição bem-sucedida, os diferentes players deste setor, desde os fabricantes de automóveis e baterias elétricas, aos fornecedores de infraestruturas de carregamento e gestores de redes elétricas, terão de criar as condições para conseguir responder à elevada procura”, acrescentou.

Neste blog, temos vindo a acompanhar a evolução da mobilidade elétrica, nas suas diferentes dimensões. Este estudo, mais um entre tantos outros, vem confirmar a tendência de que os VE - sobretudo na Europa - vieram para ficar. É claro, da tecnologia às infraestruturas de carregamento, passando pela renovação geracional e hábitos de consumo, muita coisa está ainda para acontecer. Contudo, parecem não restar dúvidas de que os VE são a solução de mobilidade a ter em conta, por empresas e particulares. 

Publicado a 26 de julho de 2022
Esse artigo foi útil?
ThumbsUp

Sim

ThumbsDown

Não


26 de julho de 2022
Partilhar esta mensagem

Artigos relacionados

Mobilidade
Veículos elétricos: Carregamento rápido ou ultrarrápido?25 maio - 1 min de leituraArrowRight
Automóvel
Automóveis elétricos têm isenção de IUC13 outubro 2021 - 2 min de leituraArrowRight
Mercado
Xiaomi EV Company: mobilidade elétrica e condução autónoma17 setembro 2021 - 1 min de leituraArrowRight