entregas

Cinco comerciais que vão dar energia ao seu negócio

5 min de leituraInovação
As cidades lutam hoje contra o congestionamento e a poluição atmosférica, ao mesmo tempo que o número de entregas de encomendas ao domicílio continua a subir. Abre-se, agora, todo um novo mercado para as marcas que apostam nas gamas de comerciais ligeiros. Se antes as opções elétricas ou híbridas eram uma parte residual da oferta, cada vez mais se assumem como as estrelas das companhias.
Partilhar esta mensagem

1. Renault Kangoo E-Tech Electric

A versão 100% elétrica do modelo Kangoo apareceu cerca de um ano depois da marca francesa ter apresentado ao mercado a nova geração da Renault Kangoo. Com o objetivo de substituir a Kangoo Z.E., de resto a primeira Kangoo elétrica da qual se venderam 70 mil unidades desde 2011, este novo modelo é produzido no norte de França, na fábrica de Maubeuge.

A Kangoo E-Tech, que visualmente pouco difere das versões com motor de combustão, vem equipada com um motor elétrico de 90 kW (122 cv) e 245 Nm e conta com uma bateria de iões de lítio com 45 kWh de capacidade que lhe oferece uma autonomia de 300 km. Segundo a marca, o modelo está disponível com três tipos de carregador. De série, vem equipado com um carregador de 11 kW para carregamento doméstico, tendo ainda como opcionais os carregadores de 22 kW, para carregamento rápido em terminais públicos, e um carregador DC de carga rápida, de 80 kW.

Quanto aos tempos de carregamento, numa ‘wallbox’ de 7,4 kW é possível passar dos 15% aos 100% de carga em cerca de seis horas, enquanto numa ‘wallbox’ de 11 kW o mesmo carregamento demora 3h50min e num carregador rápido DC em apenas 30 minutos é possível repor 170 km de autonomia. Para prolongar a autonomia, a marca francesa equipou a Kangoo E-Tech com uma bomba de calor e com o modo de condução “Eco”, no qual a potência e a velocidade máxima são limitadas para otimizar a autonomia e três modos de travagem regenerativa. Neste veículo, o volume de armazenamento vai até aos 3,9 m3, 600 kg de carga útil (800 kg na versão longa) e 1500 kg de capacidade de reboque.

2. Fiat E-Ducato

O E-Ducato, um veículo 100% elétrico, juntou-se ao Ducato Natural Power, alimentado a gás natural, na oferta de sistemas de propulsão alternativos da marca. Além de uma completa gama de versões, o furgão apresenta alternativas modulares para as dimensões das baterias, com autonomia num ciclo de entregas real tipicamente urbano que vai de 200 a cerca de 300 km (ciclo cidade WLTP). A velocidade é limitada a 100 km/h para melhor absorção de energia, a potência máxima é de 90 kW e o binário máximo de 280 Nm. O veículo está disponível em todas as alternativas de carroçaria, com o mesmo volume de carga do Ducato convencional, entre 10 m3 e 17 m3, e carga útil até 1950 kg.

3. Opel Vivaro-E

O Opel Vívaro-e foi apresentado como o primeiro veículo comercial elétrico lançado por um fabricante alemão. A gama oferece opções de quatro variantes de carroçaria – Cargo, Cabina Dupla, Plataforma e Combi – e dois níveis de equipamento na variante Cargo – Essentia e Enjoy. No total, a oferta do novo furgão elétrico da Opel é composta de um total de 28 versões diferentes. A versão elétrica do Vivaro, com motor de 100 kW e binário máximo de 260 Nm acelera a uma velocidade de ponta de 130 km/h. O seu consumo combinado é de 21,7 kWh/100km e a autonomia é de cerca de 230 km com uma bateria de 50 kWh.

O tempo de carregamento a 100% através de uma ‘wallbox’ de 11 kW é de cerca de 4,5 h. A carga útil da versão Cargo é de aproximadamente 930 kg enquanto a versão Combi dispõe de 9 lugares para passageiros. Por se tratar de um veículo elétrico, o Opel Vívaro-e consome energia mais barata. E os custos de utilização baixam substancialmente graças também à isenção de Imposto Sobre Veículos (ISV) e Imposto Único de Circulação (IUC), além de acesso a incentivos disponibilizados pelo Estado e pelas autarquias. A marca garante que as empresas usufruem de outros benefícios decorrentes da sua atividade, nomeadamente em Tributação Autónoma, IRC e dedução de IVA.

4. Citroen ë-Jumpy M

A versão elétrica do Jumpy com motor de 100 kW e binário de 260 Nm atinge uma velocidade máxima de 130 km/h. Segundo a marca, o consumo combinado deste modelo é de aproximadamente 25 kWh/100km, sendo que a autonomia é de cerca de 215 km com uma bateria de 50 kWh. O tempo de carregamento a 100% é de cerca de 4,5 h através de uma wallbox de 11 kW. A carga útil é de 930 kg na versão comercial, com a versão de passageiros a ter nove lugares.

A estratégia “Inspired by Pro”, na qual assenta o veículo,  é composta por soluções feitas à medida dos clientes profissionais, seja através dos produtos ou na rede de concessionários, com o conceito comercial “La Manufacture” a demonstrar a ambição da Citroën em fornecer aos seus clientes padrões específicos em termos de acolhimento, personalização e conforto.

Este furgão está disponível em três comprimentos, entre os quais a nova versão XS de 4,60 metros – indicada pela marca para utilização urbana e em zonas de baixas emissões. Com um comprimento de 4,60 metros e um volume de carga que pode atingir os 5,1 metros cúbicos, o ë-Jumpy XS possui ainda uma câmara 180º de ajuda ao estacionamento dianteiro e traseiro, além de retrovisores rebatíveis. A juntar à versão XS estão disponíveis a versão M, de 4,95 metros de comprimento e a versão XL, de 5,30 metros de comprimento.

5. Peugeot e-Expert

O e-Expert é a proposta da Peugeot para o segmento dos furgões compactos 100% elétricos. Assente na filosofia “power of choice” da marca francesa, o e-Expert dispõe de dois níveis de autonomia, podendo chegar aos 330 km com uma única carga). A marca garante ter preservado os pontos fortes da versão térmica, com o e-Expert a ser “capaz de ir ao encontro de todas as necessidades e de todos os tipos de clientes” profissionais. A versão do modelo Expert com motorização elétrica de 100 kW gera um binário máximo de 260 Nm, com o veículo a atingir uma velocidade máxima de 130 km/h.

O seu consumo combinado é de cerca de 25-26 kWh/100km e a autonomia é de cerca de 210-230 km com uma bateria de 50 kWh. O tempo de carregamento a 100% é de cerca de 4,5 h quando ligado a uma ‘wallbox’ de 11 kW. A carga útil da versão furgão é de 930 kg. Destaque para a cadeia de tração elétrica, semelhante à dos e-208 e e-2008. O redutor foi adaptado, sendo mais curto para ir ao encontro dos constrangimentos de carga decorrentes da utilização de comerciais ligeiros.

Publicado a 24 de março de 2022

24 de março de 2022
Partilhar esta mensagem

Artigos relacionados

MobilidadeCar as a service: Uma tendência a ter em conta22 março - 3 min de leituraArrowRight
AutomóvelDerivados de furgões também “levam” quota a monovolumes06 agosto 2020 - 1 min de leituraArrowRight
MercadoChineses “conquistam” mundo automóvel pela via industrial28 janeiro 2019 - 1 min de leituraArrowRight