Veículos bi-fuel na frota da sua empresa. Sim, vale a pena pensar nisto.

2 min de leituraGestão de frotas
Há um novo enquadramento fiscal que torna os veículos bi-fuel uma opção a ter conta. Mas não é só. Há cada vez mais postos de abastecimento e os custos totais de utilização estão a mostrar-se competitivos. Venha daí, fique a saber tudo...
Partilhar esta mensagem

É verdade, num tempo de alguma incerteza económica, como aquele que estamos a viver, não há gestor que não procure encontrar todos os dias as soluções mais eficientes para os seus negócios. Se é o seu caso, acreditamos que este artigo vai ser-lhe muito útil. Sobretudo se anda preocupado com as soluções de mobilidade da sua empresa. Veículos elétricos ou gasóleo? Gasolina, talvez? Sim. Há um mundo de possibilidades. Mas há também a opção pelo Bi-fuel, opção onde a equipa de consultoria LeasePlan encontra diversas vantagens. A primeira é o regime fiscal atualmente em vigor no nosso país.

Novo enquadramento fiscal

O impacto da fiscalidade nos veículos Bi-fuel é muito evidente em termos de IVA, já que em sede de IRC não há qualquer benefício fiscal. No regime anterior, não havia qualquer benefício fiscal - tanto no IVA como em IRC – mas no atual quadro fiscal as empresas podem beneficiar de deduções de 50% do IVA na aquisição e dedução de 50% do IVA na opção por GPL.

Veículos Bi-fuel crescem 60% ao ano

Como se pode perceber, pela análise do quadro abaixo, as vendas de automóveis com estas características tem vindo a crescer todos os anos. Em 2021, apesar dos efeitos da pandemia, as vendas no mercado português totalizaram 5017 unidades. Aqui, destaque para o desempenho do modelo Dacia Sandero, que registou 2188 matrículas no ano passado. Foi o modelo comercialmente mais bem sucedido.

Mais postos de GPL em todo o país

O crescimento da rede de abastecimento de postos GPL é um facto que tem favorecido a adesão aos automóveis Bi-fuel. Em concreto, em Portugal Continental, existem 422 postos de abastecimento GPL - cerca de 16% do total de postos existentes. Estão sobretudo distribuidos pela faixa litoral do país, com destaque para as grandes cidades que apresentam maiores concentrações: Lisboa: 76 postos, Porto: 11 postos, Algarve: 20 postos, Coimbra: 34 postos, Vila Real & Viseu: 48 postos, Braga: 69 postos.

Custos totais de utilização favoráveis

Como sabemos, para além do valor de aquisição do automóvel, os custos totais da sua utilização (TCO) são muito importantes para a gestão da frota de uma empresa. O quadro abaixo parece não deixar dúvidas de que os Bi-fuel podem representar uma poupança até 20% nestes custos. Os cálculos foram efetuados considerando um depósito de gasolina para dois de GPL e um consumo de GPL 20% acima do consumo de gasolina.

Podemos concluir...

Sim. Tendo em conta o atual quadro fiscal, que as vendas deste tipo de automóveis estão a crescer, que a sua tecnologia está consolidada, que a rede de abastecimento dá garantias e que os custos totais de utilização podem ser favoráveis, podemos concluir que os automóveis Bi-fuel são uma opção a ter em conta na planificação da frota de uma empresa. Portanto, pelo menos, vale a pena pensar nisto.

Consulte aqui todas as informações
Publicado a 1 de agosto de 2022
Esse artigo foi útil?
ThumbsUp

Sim

ThumbsDown

Não


1 de agosto de 2022
Partilhar esta mensagem

Artigos relacionados

Gestão de frotas
O TCO não é um número estático21 fevereiro 2020 - 5 min de leituraArrowRight
Gestão de frotas
8 aspetos da otimização da frota10 fevereiro 2020 - 2 min de leituraArrowRight
Gestão de frotas
Carros de empresa: Renting ou compra?10 fevereiro 2020 - 9 min de leituraArrowRight